Juno, o filme

Juno é um filme sobre uma menina de 16 anos que engravida (acidentalmente) do melhor amigo. Ela prefere não abortar e entregar o filho para adoção. O filme não foi muito comentado no Brasil, mas fez bastante sucesso nos EUA. O filme é muito bom e engraçado. Os relacionamentos, bem especiais, são a melhor parte do filme.

O primeiro comentário foi do Ben Casnocha, que disse “é um bom filme, que lida com difícieis situações da vida, de forma engraçada e apropriadamente complicada. O filme é do mesmo diretor do filme “Obrigado por fumar”, que também é ótimo.

Os personagens

A menina, Juno, mora com o pai e madrasta. O relacionamento com o pai é cordial, e com a madrasta quase. O “acontecimento” ajuda a aproximar a família. Os pais dão um bom suporte a menina, e apóiam a entrega para adoção.

Juno começa a procurar anúncios no jornal de pais interessados em adotar. Os anúncios são parecidos com piadas de anúncios “mulher procura…”. O casal que é o escolhido é uma figura. O “pai” indeciso com a paternidade. A mãe extremamente controladora, muito cri-cri, chata.

O “pai da criança” é um adolescente bonzinho, educado, bem nerd, que não tem idéia do que está acontecendo. Além disso é viciado em Tictac sabor laranja. Imagine a figura.

O filme foge dos clichês tradicionais, além de ter algumas cenas que garantem boas risadas. O teste rápido de gravidez feito repetidas vezes é uma delas. Quem já passou por isso, que o diga. rs..

Um detalhe: Juno tem um telefone em forma de hambúrguer.

Lição de marketing

Uma lição de marketing e administração do filme. Até clínica de aborto precisa de bom atendimento ao cliente. Antes de tentar a adoção, Juno busca anúncios de clínicas de aborto e se interessa por uma: Women now. O slogan: onde mulhers cuidam de mulheres (ou algo do genêro). Soava perfeito para o que ela buscava.

Ao chegar na clínica, primeiro encontra uma colega de turma chinesa, que protestava contra o aborto. A amiga disse a Juno que bebê têm unhas. Isso mexeu com a menina. rs..

Entrando na clínica, é atendida por uma “master” em perfeito atendimento ao cliente, que repete o slogan da clínica, sem olhar nos olhos de Juno, continuando a jogar um mini-videogame. Além disso, faz comentários terríveis sobre a cortesia da empresa, preservativos com sabor. Bebês com unhas e atendimento pior impossível = perda de um potencial cliente.

Minha esposa não acreditou quando contei essa minha observação de empreendedor sobre o filme. Faz parte da vida. Quem está ligado, enxerga coisas diferentes, nos lugares de sempre.

Fotos

Pôester do filme Juno

Pôster do filme Juno

Jantando com o pai

Jantando com o pai

O casal

O casal

Os futuros pais

Os futuros pais

As fotos são do site Adorocinema.com.


Comments are closed.