Meus comentários sobre iPad da Apple e possíveis impactos na nossa vida e nos negócios

A Apple anunciou ontem o iPad, seu tablet, muito esperado por todos. O evento em si foi uma demonstração de marketing muito bem coordenado, desde o convite que não anunciava o que seria mostrado até a intensa cobertura na internet sobre o evento. Sou fã da Apple, uso iPhone e Macbook Pro e também gosto muito do Kindle, que foi declarado morto ontem por muitos.

Veja meus comentários sobre iPad, Apple, Kindle e outros possíveis impactos e me diga o que achou. Primeira pergunta: quero um? Sim, claro!

  • A Apple está sabendo usar excepcionalmente bem o que já construiu com produtos anteriores. O iPhone se beneficiou muito do iTunes store que antes vendia só musica e filmes para iPods e agora vende programas. Com o iPad todo esse ecossistema de apps para iPhone se torna mais útil e mais interessante.
  • Produto x Plataforma. A Apple se torna uma plataforma cada vez mais poderosa. Mais de 130 milhões de pessoas têm conta iTunes, com cartão de crédito conectado. Cada vez mais gente quer entrar nessa roda. Mais fácil para gastar dinheiro, e mais fácil para ganhar dinheiro. O interesse por desenvolver aplicativos para promover marcas ou para ganhar dinheiro vai aumentar. As empresas de celulares dormiram no ponto há tempos e parece que a Amazon demorou demais para abrir seu sistema Kindle para desenvolvedores externos.
  • Esse fator plataforma faz com que a força do iPhone e do iPod touch aumente, por incrível que pareça, uma vez que mais gente vai usar/acessar/comprar/pagar os serviços da iTunes e App stores.
  • Faz cada dia mais sentido lançar uma app do seu site, da sua empresa, do seu produto. As empresas/produtos de construções de apps para iPhone/iPad vão ter sua demanda muito aumentada. Eu quero ter uma app do meu blog, da minha empresa, dos nossos portais.
  • A Apple também está cada vez mais conseguindo vender computadores para quem acha que não gosta/entende de computadores. Simples, bonito e funcional atrai muita gente.
  • Um dos grandes problemas da Apple: é muito fechada, muito travada. O sistema do iPhone/iPad é muito mais travado do que de computadores até mesmo como os da própria Apple. Um sistema mais aberto, quem sabe baseado em Android para celulares e tablets possa ameaçar o poderio da Apple. Mas precisa ser algo fácil de usar, coisa que Apple e Google sabem fazer. E na minha opinião, Microsoft e Nokia não sabem, por exemplo.
  • Participação de mercado. Em computadores, ela detém uns 5% do mercado. Com iPhone e iPad pode aumentar sua participação até no mercado de computadores
  • Acho que vai ser um produto matador para anotações em reuniões, com texto, rabiscos e mapas mentais. Será um excelente substituto para agendas e planners. Taí uma oportunidade/ameaça para os fazedores de agendas especializadas – comecem a pensar em construir uma app para iPhone/iPad.
  • Outro uso fantástico será a apresentação de produtos em feiras, reuniões. Pode ser uma excelente ferramenta de vendas, auxiliando vendedores face-a-face com o cliente. Quando vi o produto comecei a pensar como eu poderia usar isso no meu trabalho, e feiras de negócios e reuniões/negociações me pareceu a primeira opção.
  • Consumo de mídia: leitura de blogs, vídeos do youtube, filmes mais longos, visualizador de fotos (como disseram: matou os porta-retratos digitais). Vai ser o melhor uso e o mais comum. Li em uns 2-3 lugares que o iPad vai salvar a mídia tradicional (revistas, tv, etc).
  • Acaba com o Kindle? Eu acho que não, pois o Kindle é excepcional para leitura de livros longos. O que todo mundo diz que ninguém vai deixar de ler livros longos para ler um ebook no computador, eu concordo e acho que é a mesma linha: não dá para comparar a leitura de texto no Kindle com um computador ou no iPhone. A tecnologia E INK é fantástica. Se alguém quiser vender um Kindle DX baratinho, eu quero um :-) E a Amazon vai continuar vendendo livros eletrônicos. A app do Kindle para iPhone vai (deve) funcionar no iPad.
  • A meu ver uma clara reação ao iPad, a Amazon anunciou hoje que terá uma nova opção de contrato, pagando 70% para a editora. Uma grande mudança (antes eram apenas 35%), mesmo que com alguns pré-requisitos. A Apple cobra 30% de comissão para vender Apps e deve cobrar o mesmo pelos livros vendidos no sistema anunciado como iBooks.
  • Um detalhe, vendo os materiais, o site, etc do iPad, aumentou minha vontade de aprender a usar o iWork, o Office da Apple.

O iPad é mais um passo de uma mudança na nossa vida, onde o computador está cada vez mais presente, em todos os momentos. Com um iPhone no bolso, um iPad debaixo do braço e laptop na mochila, computadores e internet vão fazer parte da nossa vida com a eletricidade faz hoje. Como bom teimoso e amante dos livros, acho que vou carregar o Kindle também.

A relação dos meus filhos com o computador (talvez eles nem entendam o que é isso direito, como não entendemos o que é o ar que respiramos e os peixes não sabem que existe água) vai ser muito diferente da minha e da dos meus pais.

Quero estar nessa. E acho que vai ser divertido. :-) E você, o que acha disso tudo?

 

6 Comments


  1. Miguel,
    gostei bastante dos comentários.
    Ao meu ver, a Apple segue sua grande estratégia de marketing ainda mais com o maior vendedor de todos os tempos. Este cara (Steve Jobs) é simplesmente surpreendente.
    Provavelmente o que você disse sobre o seu uso irá acontecer, por exemplo, para demonstrar nossos produtos usaremos um Ipad.
    Recentemente vi que 50% dos dados trafegados pela web atraves de dispositivos móveis vem da maça.
    Por que não segui-los ou usá-los.
    Abs
    Vida Longa e Prospera

  2. Boa análise Miguel.
    Eu na verdade queria voltar no tempo para viver em eras pré-industriais…

  3. fala miguel! sobre as observações, perfeito. acho que tem um impacto tb sobre o consumo de midia. definitivamente enterra a questão de como fazer a transição do papel para o digital. é só investir no site, sem ter que redescobrir o design do papel na digital. e complementando sobre seus filhos, o ipad é a demonstração eterna da apple em deixar claro que o computador não precisa ter cara de computador. vamos usar os micros sem nos dar conta. o ipad é mais um exemplo da tentativa de jobs de deixar o computador invisível.
    ah! eu tb compro um kindle de quem estiver vendendo baratinho! ;-p
    abs!

  4. Miguel,

    Parabéns pelo artigo.

    Eu gostei muito do iPad, acho que ele abre mercado para um tipo de público que ainda não consome produtos Apple.

    Nem todo mundo tem o perfil de sentar em uma cadeira de frente para uma mesa e “mexer no computador”. Eu enxergo este produto como uma porta de entrada para muitas pessoas que não são interessadas ou envolvidas no mundo da tecnologia, mas como você pode ignorar esse universo sendo que todo mundo esta lá?

    Minha mãe seria uma perfeita usuária para este produto. Ela não sabe o que é multi-tarefa e isso seria um dos recursos que certamente atrapalharia sua vida. A usabilidade é o grande diferencial, pois eu tenho certeza que será muito mais fácil que qualquer device que existe no mercado hoje.

    Mas também não posso admitir que digam que o iPad é um competitor para o e-ink. O E-Ink não emite luz, ler no ipad é como ler olhando para uma lâmpada acesa. É perfeitamente possível e aceitável, mas nada confortável.

    Do jeito que o Steve Jobs falou, eu sinceramente acreditei que ele traria um device mix de eink com led, mas não foi dessa vez…

    abraço!

  5. Gustavo Piedade

    Concordo em muitas partes contigo, acredito mesmo q o Apple tem aproveitado o produto/ ideia criada no IPhone / ITouch e vem explorando em novos mercados.

    Compartilho da mesma idéia sua, de que a Apple tem aproveitado o Ipod/ IPhone para ganhar mercado na venda de computadores também, assim a empresa vai ganhando mais adeptos para seus produtos exclusivos e cheios de design.

    Na verdade, esperava mais do produto, como eu disse ele vem do conceito bom/ matador do IPhone e sua navegação fantástica, no entanto não tem renovado, como acesso a multiplas tarefas, camera, suporte a Flash, entre outras coisas…

    Acredito que só o mercado vai dizer se ele terá sucesso ou não…rs Veremos…

    Navegando pela net achei esse post do blog da info online, é uma sátira a apresentação e aos recursos do Ipad, se tiver um tempo confira, é engraçado…

    http://info.abril.com.br/noticias/blogs/baixadefinicao/videos-de-sucesso/como-seria-o-ipad-sem-marketing/

    Abraços

  6. Estive hoje mesmo com um ipad na mão aqui em Espanha e me pareceu bastante razoável, no entanto a opção de definitivamente remover o flash não sei até que ponto isso não vai afectar significativamente as vendas.

    São autênticos buracos negros em muitos dos sites que visitei. De resto achei interessante a forma como o email é manejado quando inverte da horizontal para a vertical entre outras pequenas mudanças que o diferem do iphone.

    Eu sinceramente pensei que, tal como anunciado pelo Steve Jobs, algo sendo feito totalmente de raiz, pudesse ser bastante diferente do iphone. Na realidade nada mais é do que um iphone em tamanho XL.

    Acho que o tempo vai resolver estas questões mas o início de uma nova geração de computadores está aí.

Trackbacks

  1. iPad, mídia tradicional e online, sistemas abertos e fechados « Miguel da Rocha Cavalcanti
  2. Man in the Arena #004: iPad, Pomodoro Techinique e privacidade no Facebook | Miguel da Rocha Cavalcanti

Leave a Reply