Breve resenha do livro The Art of Non-Conformity

Li essa semana um livro novo, curto e muito interessante. Li 80% no kindle para iPhone e 20% no iPad, brinquedinho novo que chegou no domingo, por um amigo que foi aos EUA. O livro é bem bacana, segue a linha do blog do Chris Guillebeau.

Ele se define como auto-empregado, que tem como meta viajar a todos os países do mundo (está próximo dos 100 países, de um total de 192) e quer também inspirar outras pessoas a pensarem um pouco fora da caixa e não seguirem uma vida sem sentido, sem saber porque exatamente fazem o que fazem.

Ele conta que tudo começou quando decidiu (depois de 11/setembro/2001) passar quatro anos como voluntário numa ONG ligada a medicina na África, vivendo dentro de um barco, de forma muito simples e ajudando pessoas mutiladas em guerras e conflitos.

O que achei de mais útil:

  • Decida por você. Ninguém vai realizar seus sonhos ou sabe o que é melhor para você. Se der errado, obviamente você é o culpado. Lembre-se do que sua mãe dizia: não vá pular da ponte apenas porque os outros estão pulando. Não seja um sonâmbulo pela vida.
  • Seja adepto da filosofia guru-free. Ninguém é melhor que o outro, do que você, ou vice-versa. Pense e aja por você. É claro que pode ouvir conselhos, mas quem decide é você.
  • Faça o exercício do dia ideal. Descreva com detalhes como seria seu dia ideal. Quando iria acordar, onde, o que tomaria de café, onde, quanto e quando iria trabalhar, etc. Compare com seu dia-a-dia. Se estiver muito diferente, há algo que você precisa mudar.
  • Sempre produza. Tenha uma meta contínua para seu trabalho mais importante. Ele por exemplo planeja escrever 1.000 palavras por dia, ou 300.000 por ano. Sendo um escritor, quer focar em produzir um número significativo. Eu gostei dessa dica, pois qualidade vem de quantidade.
  • Ação traz confiança e coragem. Inação traz medo e dúvida. Não fique parado.
  • Sugere um mestrado de um ano alternativo. Entre as sugestões, que gostei muito: assinar (e ler The Economist), comprar uma passagem volta ao mundo de avião, ter um blog, aprender três coisas novas, aprender a falar em público, ler artigos aleatórios na wikipedia, ler textos básicos das principais religiões. Achei bem interessante para te dar uma cultura geral, que quase ninguém tem (e que invejo quem tem).
  • Fala que muita gente acha que a solução é menos trabalho. Ele acredita em trabalhar melhor. Mais eficiência, produtividade e foco no que realmente importa: seu legado. Qual o seu legado? A maioria das pessoas só pensa nisso quando está morrendo, daí já é tarde demais para mudar, se for preciso. Pense que há três formas de trabalho: ruim, bom e ótimo. O ótimo é o que contribui para o seu legado. Para o que será lembrado quando você já estiver morto.
  • Dinheiro por si só não tem nenhum valor. Você precisa usá-lo para ter valor. Não tenha dívidas. Não compre coisas parceladas. Você fica refém.
  • Preste atenção na agenda, nos interesses das outras pessoas, quando elas te propõem alguma coisa. E pense também em qual é sua motivação para o que você faz. Bons conselhos.
  • Leve seus sonhos muito a sério. Uma das coisas mais legais da vida é fazer o que os outros te dizem que não dá para fazer.
  • Você pode ter muitos sonhos, mas não muitas prioridades. Você pode qualquer coisa, mas não pode tudo. O mais importante não é a decisão que você toma, mas seu comprometimento com a decisão.
  • Veja o mundo com um viés de abundância. Não pense em soma zero.
  • Muita gente planeja muito bem sua festa de casamento ou suas férias, mas não planeja sua vida. Qual é o mais importante?
  • O segredo na maioria das coisas é ter o suficiente. Dinheiro em especial. Se você souber ter o suficiente, viverá muito bem. Se quiser sempre mais, vai ser mais difícil.
  • Pense no seu mercado alvo definindo quem não é seu mercado. Ao pedir algo a sua audiência (ele chama de exército), peça de forma específica.
  • Durma bem, pois é preciso estar descansado para ser criativo, para criar. E na maioria das vezes, esse é o trabalho mais valioso.
  • Pense no que precisa fazer menos, para depois pensar no que precisa fazer mais.

As dicas são bem básicas. São mesmo, mas a grande maioria das pessoas não conseguem colocar isso em prática, mesmo que em pequena quantidade. Eu ainda consigo muito pouco, mas quero conseguir mais e mais.

O que eu gostei desse livro e do tom que o Chris dá ao texto pela a simplicidade, a humildade de uma pessoa que parece estar muito feliz com o que faz, com o que ganha e como vive, sem querer parecer que é multi-milionário ou que é melhor que os outros. Essa capacidade de fazer o que realmente gosta (seguir seus sonhos e deixar um legado) ao mesmo tempo que ganha dinheiro, mas não ostenta e não se acha é um balanço muito difícil e muito interessante. Por isso gostei desse livro.

 

9 Comments


  1. Olá Miguel!

    Muito legal sua resenha. Adorei o conteúdo do livro e já adicionei na minha ‘Reading List’.
    Adorei as dicas, ‘Assinar e Ler The Economist’, prestar atenção na agenda, nos interesses das outras pessoas. Acredito que relacionamente é fundamental para tudo. Horas boas e não boas, precisamos nos relacionar.
    Gostei também de ler textos sobre outras religiões (tenho tentado fazer isso). Um amigo que foi criado dentre da mais rigorosa cultura católica, começou a paquerar outras religiões como curioso e descobriu um novo mundo a sua volta. Passou a ver muitas coisas de outras maneiras, mais interessantes do que antes. Na verdade ele quase pirou. hahaha
    Parabéns.
    Abraços,
    Gustavo

  2. Miguel,

    Excelente resenha, com certeza faz a gente pensar no rumo que se da a vida…

  3. Olá,

    Parabéns pela resenha. Você sabe se existe alguma versão traduzida?

  4. Nossa, que legal, adorei a resenha, vou baixar no Kindle ja’! Valeu, Miguelzao, abraco forte, Julio

  5. Claudio Baran

    Miguel,

    Como sempre ótimas resenhas!

    Muito obrigado, já entrou para a lista!

    abraços,

  6. Básico, simples e direto. Posso estar enganado, mas essa é para mim a definição de essencial.
    Boa resenha. Inspirou-me a repensar qual o legado que estou deixando.

  7. Deu vontade de ler, já joguei para a wishlist!

  8. Oi, Miguel.

    Sou editora dos livros de negócios da Editora Saraiva e estamos traduzindo este livro e sua publicação está prevista para maio/2012.

    Abraços!

    Gisele

  9. Dennis Pinheiro

    Continue postando. A qualidade de suas observações com certeza está ajudando muita gente. Parabéns pela iniciativa.