Breve resenha de Poke the box, novo livro de Seth Godin

 |  by  |  livros

Acabei de ler o livro Poke the box, do meu autor favorito de marketing: Seth Godin. Esse é o primeiro livro editado pela nova empresa de Seth, The Domino Project, que ele está rodando há alguns meses em parceria com a Amazon.

Essa nova “editora” está trabalhando de uma forma que faz muito sentido. Lança livros bem curtos, pois cada vez as pessoas têm menos tempo. Lança livros em vários formatos: impresso, kindle, audiobook. E mais interessante, como Seth diz que livros são souvenirs, lançaram edições especiais, com capa em alto relevo, para quem quiser um souvenir/presente ainda mais especial. Um detalhe, Seth não tuita, mas fez uma sessão de uma hora de  perguntas&respostas sobre o livro, ontem, que foi muito legal.

Vamos ao livro. O assunto é iniciativa. Seth Godin defende que temos tudo ao nosso alcance, de forma mais fácil do que nunca: dinheiro, tecnologia, etc. Falta iniciativa. Falta começar, falta entregar. O termo que ele mais usa, e que gosto muito, é “ship”, de entregar, despachar, colocar no correio. Ship significa terminar e entregar ao cliente. Precisamos fazer isso mais vezes, tornar isso mais natural, mais automático. Precisamos tornar isso o que se espera das pessoas.

Algumas partes que mais gostei do livro:

  • Ninguém vai te dar iniciativa, você precisa pegar.
  • A mudança é antes de tudo na postura.
  • Olhe a sua volta, você está cercado de plataformas que podem alavancar seu projeto.
  • Não recompensamos quem segue mapas, mas quem os desenha.
  • Se pergunte (e pergunte aos outros): “O que você faz aqui?” Muita gente se embaralha e se limita ao ser perguntado.
  • Em breve ou daqui a pouco é muito pior do que agora. Como sempre diz um professor meu da Esalq: “A vida é momento, e o momento é agora”.
  • Se você (ou seu projeto) não está em movimento, então comparado ao mundo, você andando para trás.
  • A maioria das coisas não dá certo. Iniciar é falhar.
  • Se nunca falhou, ou você é o mais sortudo do mundo, ou nunca começou nada.
  • A primeira regra é fazer com frequência. Entregue alguma coisa todo dia. Você tem que “ship” alguma coisa com a maior frequência possível. Monte sua agenda para entregar todo dia. Em resumo: apareça. Me lembrei de uma frase do blog do Ben Casnocha “always produce”.
  • Para algo memorável acontecer, com certeza precisou de alguém com iniciativa.
  • Procure o medo. Na maioria dos casos (se não todos), não iniciamos por medo de alguma coisa. Reconhecer e entender isso é o primeiro passo para viver com esse medo e mesmo assim entregar. O objetivo não é acabar com o medo, mas não deixar que ele te trave. Recomendo a ótima (e free) revista online Fear.Less.
  • Iniciativa e criatividade precisam de curiosidade.
  • Não espere alguém te escolher. Comece. Me lembrei da frase do Gapingvoid: “a melhor forma de ser aceito é não precisar disso”.
  • Exercite a equipe a sua volta a dizer o que estão fazendo, o que estão começando, o que está dando medo.
  • O custo de fazer errado é muito menor do que o custo de não fazer nada.
  • Mídia social é uma ótima forma de polir relacionamentos, mas lembre-se que engraxar duas vezes seguidas seu sapato não vai deixá-lo mais bonito. Faça o mínimo necessário para ter mais tempo para entregar mais.
  • Procure ver seu negócio, sua empresa como uma série de projetos. Como você pode construir novos projetos em volta da plataforma que já tem?
  • Xingar o apresentador de TV nunca deu em nada. É preciso fazer, além de reclamar e se lastimar.
  • Essa pergunta é matadora, e já me fiz (sem uma boa resposta ainda): Se você fosse convidado a palestrar no TED, sobre o que falaria?
  • “Isso pode não funcionar” na maioria das vezes é uma tentativa de matar um projeto. Me lembrei da frase: “Nothing will ever be attempted if all possible objections must first be overcome”, postada pelo Tony Hsieh, da @Zappos.
  • Começar significa que você vai ter que terminar. Seth fala muito sobre “ship”. Inclusive foi das coisas que mais me marcou quando fiz o curso com ele em 2008. Ele se pergunta diariamente “o que vou entregar/despachar/finalizar hoje?”
  • Quanto mais você fizer, melhor vai ficar, mais habilidade, mais alavancagem. Com o tempo, melhora.
  • Se pergunte: “Como você chegou nesse emprego?” Na maioria das vezes, a resposta é estranha, as pessoas não sabem bem porque e não refletem sobre isso a fundo. Há muita inércia.
  • “Continue começando, até você terminar”, achei essa frase muito boa.
  • O mercado é obcecado por novidade. Então, vá fazer algo novo :-)
  • Surpresa, conexão, humanidade, transparência. Tudo isso cria alegria.
  • Na maioria dos casos, você vai chegar num lugar diferente de onde pensou que chegaria, quando começou. Tenha isso em mente.
  • Se você não pode falhar, não conta. As coisas que valem a pena na vida têm um risco envolvido. Acho que já falei isso em um episódio do Man in the Arena.
  • Estar atrasado, estar correndo é a melhor desculpa moderna para não fazer algo memorável, para não começar. Como isso é verdade, e como isso dói :-)
  • Informação de menos pode te travar, sendo uma desculpa. E informação demais também pode fazer o mesmo.
  • Para pedir alguma coisa a alguém, você primeiro precisa conquistar o direito de fazer isso. Se não é spam.
  • “Há dois erros que você pode cometer na estrada para a verdade: não ir até o final, e não começar”, Siddartha.

Eu gostei muito do livro, está muito alinhado com o que acredito, valorizo e quero fazer da vida. Entenda essa resenha mais como um resumo para mim mesmo do que eu quero fazer e das maneiras que quero me provocar, do que uma receita de sucesso para os outros.

Vamos em frente.

PS: Se quiser saber mais sobre o livro, você pode comprá-lo na Amazon, baixar um workbook em PDF muito legal (grátis) e visitar o post explicativo do Domino Project. Aproveite e conheça mais sobre essa ideia inovadora. Eu acho que o futuro das editoras está por aí.

 

13 Comments


  1. Convenhamos, a quantidade de conteúdo que o Seth produz no Blog é impressionante. Além disso, ainda tem uma capacidade de lançar livro atrás de livro, com qualidade e uma velocidade brutal.

    Ele fala, mas faz tudo que prega!

    Um exemplo.

  2. Olá Miguel! Muito bom o post. A dica do ship foi fantástica. Coloquei já na minha agenda para lembrar disso diariamente. Comecei a praticar hoje e já está fazendo a diferença. Abç.

  3. Miguel,

    mito bacana. Só li a resenha agora para não influenciar a minha resenha e foi super bom! Super bom, porque percebi certas coisas que você notou e eu não tinha notado. Achei isso bem bacana.

    Depois veja como ficou a minha resenha (em vídeo) sobre esse livro: http://www.youtube.com/watch?v=TpEmRDmMO5Q

    Como o Seth fala, vou iniciar algo novo e experenciar. Durante o mês de março vou produzir vídeo-resenhas sobre livros que li e ver no que dá. Ao menos, a experiência de produzir um roteiro e treinar apresentações está me deixando menos distante do mago Steve Jobs. :)

    Poking the box…

  4. Grande Miguel,

    Parabéns pelo post. Só a dica do fear.less já matou a pau. Muito bom.

    []s

  5. Millor Machado

    Miguel,

    Minha sugestão para uma palestra sua no Ted é: Como transformar conhecimento intangível em ações para o dia-a-dia.

    Pelo menos é esse o meu objetivo quando venho ler seu blog. Pra mim é muito claro que seu “super poder” é a capacitade de síntese.

    Abração!

  6. Olá Miguel,

    Curioso é que o Seth havia dito que não iria mais escrever livros. À época ele não deu maiores explicações, mas agora, após ler sua resenha, vejo que ele realmente não escreve mais livros.
    Pelo menos não no sentido tradicional. Seth e Amazon estão re-inventando a maneira como lemos livros. Bacana.
    Abs
    Thiago de Assis Silva
    DOM Strategy Partners

  7. Hildo Antônio

    Parabéns pela resenha do livro, muito interessante o assunto abordado. Estás explicações realmente faz a diferença em nossa vida se colocadas em prática. A parte que fala sobre despachar todos os dias faz muito sentido.

  8. Parabéns! Preciso despachar os pacotes que começo, quase termino e costumo engavetar. Mas, como um bom procastinador, vou deixar para segunda-feira.
    AbraÇão!

  9. pela que vi na resenha do livro, ele parece ser interessante, gostei muito quem sabe uma hora dessa vou le-lo.

  10. Ele vem aí na HSM Expo Management 2011!

    Fique atento!

    Abraço, Rodolfo.

  11. “Na maioria dos casos, você vai chegar num lugar diferente de onde pensou que chegaria, quando começou”.
    Esta é uma mega-verdade, mas quando não percebida leva as pessoas ao descontentamento pois sempre queremos chegar no local onde planejamos.
    É um ponto de vista que me faz refletir.
    Abraços a todos!

  12. Ótima compilação Miguel

    Na tentativa de se provocar quanto aos ensinamentos, você me provocou também!

    Gostei muito dessa frase: “Continue começando, até você terminar”

  13. Leandro B. Pereira

    Pra quem não lê em inglês como eu, estas resenhas além de extraordinárias ficam com aquele gosto de que poderia ser maior hehe…Valeu !!!

Trackbacks

  1. Ode à iniciativa